administração

Meritocracia e Gestão do Desempenho

INTRODUÇÃO

Os sistemas econômicos cada vez mais complexos exigem que as empresas entreguem resultados cada vez maiores e mais elaborados, de acordo com a complexidade do sistema. O consumidor moderno exige cada vez mais do sistema. E as empresas, cobram cada vez mais de seus funcionários, exigindo a excelência e a qualidade sempre.

Diversos métodos para se aferir o resultado e o desempenho de um indivíduo têm sido testados, exaustivamente, na busca do melhor método para avaliar aquilo que o indivíduo realmente é e o quanto ele consegue produzir de resultado para uma empresa.

A Meritocracia é um sistema amplamente utilizado, inclusive no âmbito governamental e do Estado. Aliada à Gestão do Desempenho, a Meritocracia desponta como uma ferramenta interessante para medir desempenho e resultados, sobretudo àqueles relacionados à promoção e progressão de carreira.

Continue lendo “Meritocracia e Gestão do Desempenho”

Anúncios
administração

Opt-Out

Você sabe o que é Opt-Out?

Parece algo complicado, mas, na verdade, é um conceito bem simples de se entender.

Opt-Out é o termo utilizado para descrever o movimento que alguns profissionais fazem para fora da empresa, através de pedidos de demissões, diminuição da carga horária, etc. Trata-se de um “desligamento” (temporário ou definitivo) de suas atividades organizacionais.

Um exemplo disso é uma mãe que abre mão de subir alguns degraus na hierarquia de uma empresa para poder dar mais atenção a seu filho. Outro exemplo seria o de alguém que deixa seu emprego para poder fazer um novo curso ou até mesmo para empreender em um novo ramo de atividade. Simples, né?! Opt-Out é, então, a saída do modelo tradicional e formal de trabalho para um modelo mais flexível ou completamente diferente do anterior.

Continue lendo “Opt-Out”

administração

Filantropia x Responsabilidade Social

Fazer o bem para outra pessoa é algo que já foi moda, mas por um tempo sumiu da mídia, ofuscado por uma avalanche de ideias individualistas e autocentradas, onde as pessoas foram incentivadas a colocar a si mesmas em primeiro lugar e, muitas vezes, desconsiderar a opinião alheia. Porém, a própria solidão do auto centrismo mostrou à humanidade que compartilhar e divulgar o bem faz bem! E foi nessa crescente onda de boas ações que as empresas se viram diante de um dilema: se ganhamos tanto com os lucros obtidos através das vendas de nossos produtos, será que devemos ajudar outras pessoas também?

Algumas empresas começaram a praticar ações isoladas de caridade e ajuda humanitária, como forma de compartilhar parte dos lucros obtidos com os menos favorecidos. E o que era para ser algo discreto e beneficente, tomou rumos de ação de marketing, na medida em que as ações caridosas praticadas pelas empresas podiam ser espalhadas como notícias e incentivos ao consumo por parte dos consumidores que gostariam de ajudar alguém, mas não dispunham dos meios necessários para isso. O ato de comprar e consumir passou então a ter contornos de ação beneficente, na medida em que cada produto era responsável por gerar certa parcela de lucro para a empresa, lucro este que poderia ser revertido em projetos e programas de ajuda para os menos favorecidos. Continue lendo “Filantropia x Responsabilidade Social”

administração

Como a ética (ou a falta dela) afeta os negócios no Brasil

Manifestações contra a corrupção eclodiram Brasil a fora, numa crescente onda de clamores por melhores condições de vida, por uma sociedade mais justa, por um governo que cumpre a palavra “democracia”. Centenas de milhares de pessoas representando milhões de brasileiros, numa tentativa de mostrar que os governantes precisam estar atentos aos anseios do povo. Seria tudo muito interessante e realmente emocionante se não fosse um fato: as mesmas pessoas que clamam por direitos, muitas vezes, deixam de cumprir seus deveres.

Vivemos em um país onde a sonegação de impostos é assustadora. Talvez até muito maior do que os números revelam. Exigir ética do governo é nosso direito e também é um dever. Mas há de se convir que agir de forma ética no cotidiano também é um dever do cidadão. Não adianta clamar por mais dinheiro para educação e saúde pública, quando você, contribuinte, não declara e não recolhe todos os seus impostos. Não vem ao caso aqui o crescente aumento dos escândalos de corrupção e roubos nos cofres públicos. Mas vem ao caso aqui exatamente o comportamento ético e a moral do povo brasileiro. Continue lendo “Como a ética (ou a falta dela) afeta os negócios no Brasil”

administração

O lixeiro e o Neymar

          Nos últimos dias, vimos a população se manifestando, protestando, saindo para as ruas para exigir os seus direitos, para exigir mais dos governantes e para mostrar que já estamos cansados de tanta exploração e abuso social. Mas algo me deixou intrigada! Enquanto uma grande maioria se indignava com o dinheiro gasto na Copa do Mundo, pensei por um momento no exorbitante salário pago aos jogadores de elite, não só em nosso país, mas em tantos outros. E fiquei pensando “Por que ninguém reclama disso também?”.

          Enquanto os professores ganham salários miseráveis, os jogadores de futebol estão ganhando salários milionários, todos os meses, sem formação alguma. Mas contra isso ninguém quer protestar! As pessoas se importam muito com o que o governo faz com o dinheiro público. E acho isso válido! Mas será que não é hora de avaliarmos também a iniciativa privada? O que as empresas privadas fazem com o seu dinheiro? De onde os clubes de futebol tiram tanto dinheiro para manter seus jogadores, cada um com um salário maior do que o outro? Por que não investir uma parte desse dinheiro na população que torce pro time também, não é mesmo? Enquanto o lixeiro, sim, o lixeiro, esse cara aí que passa na frente da sua casa e você nem nota, ganha um único salário mínimo, o Neymar está ganhando milhões de reais por mês e vai ganhar ainda mais agora que vai para a Europa. E o que o Neymar produz para a nossa sociedade além de um cabelo diferente a cada semana e que será imitado por milhares de jovens? Nada! Mas o lixeiro, esse que acabou de passar em frente a sua casa enquanto você não via, levou tudo aquilo que você não queria mais, contribuiu para a sua higiene e para a sua saúde. E se o lixeiro não passasse? E se ele não levasse seu lixo embora? O que você faria?? Seria um caos completo! Mas o lixeiro não está sendo reconhecido. Na verdade, o lixeiro muitas vezes é ignorado! E sabe por quê? Porque ele é lixeiro! Ele tem cheiro de lixo, ele está sempre sujo. Mas ele só está assim para ajudar a mim e a você! Ele pode ser um cara tão inteligente ou até mais inteligente do que você. Mas ele está ali, se submetendo a um trabalho que é considerado indigno pela grande maioria. Mas, na verdade, este é um trabalho sensacional. Registro aqui toda a minha admiração e o meu respeito por aqueles que fazem da minha vida uma vida limpa, uma vida digna e saudável. E digo mais, vocês merecem um salário maior, muito maior. Merecem muito respeito e merecem uma manifestação também! Afinal, vocês produzem para a nossa sociedade muito mais do que muita gente por aí, escondida atrás de livros e belas aparências.

          Realmente é revoltante! Se você é um brasileiro que acha que sabe fazer protesto, acho que já está na hora de você rever os motivos pelos quais você quer protestar. Exija algo que afete sua vida diretamente, que afete a vida de sua família, que afete a vida de seus amigos. Sim, eu tenho um amigo que é lixeiro. E eu gostaria que ele tivesse um salário mais digno, independente de existir a Copa do Mundo ou não. Acho que isso é possível! Mas enquanto isso as pessoas estão preocupadas em saber o que vai acontecer com o Neymar… É de se indignar!

administração

Os 3 tipos de serviço

Encontrei esta frase na internet e achei muito interessante. Vejam só…

Aqui nós fazemos 3 tipos de trabalho: bom, rápido e barato.
Se é bom e rápido, não pode ser barato.
Se é rápido e barato, não pode ser bom.
Se é bom e barato, não pode ser rápido.

É engraçado, mas é real. Atualmente as empresas acabam tendo que decidir por seguir uma linha ou outra. É difícil conseguir produzir rápido, com qualidade e com preço acessível. Ou será que é possível? Será que os métodos de produção evoluíram a tal ponto de garantir alta produtividade com baixo preço e qualidade acima da média?

São questões que toda empresa deve analisar, buscar dentro de seu DNA qual o tipo de serviço deseja oferecer. Desta reflexão é que surge a visão e a missão da empresa.

É óbvio que se pode sim oferecer um produto ou serviço que englobe os três conceitos. Mas será o bastante para o cliente? Ou será que o tipo de produto ou serviço depende da visão do cliente? Que tipo de cliente sua empresa pretende agradar? O que deseja um serviço rápido? O que deseja um serviço bom? O que deseja um serviço barato? Ou o que deseja um serviço rápido, bom e barato?

Vale à pena refletir!