administração, Criatividade e Inovação, gestão, inovação, transformação digital

Sua empresa nasceu para durar ou para mudar?

“Não é exagero dizer… que mais tem sido feito, descobertas mais ricas e profícuas tem sido realizadas, realizações maiores tem acontecido no curso dos 50 anos do nosso tempo, do que em toda a existência prévia da raça humana. (…) O progresso efetuado nesta geração contrasta surpreendentemente todo o progresso agregado de todas as gerações juntas desde os primórdios da existência de nossa história.”

Poderia ter sido escrito hoje, mas é uma citação da revista de divulgação científica Scientific American de 1867!

É isso mesmo! 1867!! 152 anos nos separam dessa informação e ainda estamos sendo surpreendidos radicalmente pelas mudanças que a tecnologia está trazendo em nosso cotidiano e no mercado.

“Ah, então as transformações sempre ocorreram e eu não devo me assustar com elas.”

Em primeiro lugar, transformações não servem para nos assustar, mas trazem consigo um alerta e um convite à reflexão e ação. Segundo, embora a transformação seja uma constante na existência humana, nunca antes em toda a História, a transformação atingiu velocidade e proporções exponenciais.

Então eu lhe faço uma pergunta: Sua empresa nasceu para durar ou para mudar?

Uma coisa é certa: sua empresa só vai durar se ela for uma empresa que nasceu para mudar! Do contrário, se ela nasceu apenas para durar, será engolida pela transformação. Ou você conhece aí alguma empresa que ainda fabrica e vende peças e rodas para carroças? Foi feita para durar (e deve ter durado dezenas ou centenas de anos), mas o mercado mudou, as necessidades e desejos dos consumidores mudaram e sucumbiu a transformação. A mesma empresa poderia estar hoje, por exemplo, fabricando rodas para carros elétricos, peças para ônibus espaciais… O produto ainda é o mesmo, porém sofreu modificações tanto pelos adventos tecnológicos como pelas necessidades do mercado.

Já ouviu falar da Studebaker Corporation? Pois é! Era uma fábrica de materiais de fundição para carroças… A empresa teve início em 1852 e chegou até mesmo a produzir material para o exército americano. Em 1920, a empresa encerrou a fabricação de materiais para carroças e focou na indústria automotiva, que crescia em ritmo acelerado no pós guerra. Após esse período, a Studebaker começou a produzir vagões de trem, automóveis de grande porte e limusines que eram campeões de vendas. No período da Segunda Guerra Mundial, a empresa produziu também caminhões para o exército.

 

Não vou me adentrar nos detalhes da história da Studebaker Corporation por aqui, mas o ponto em questão é: por que a Studebaker desapareceu do mercado? A empresa até tentou se adaptar ao mercado, abandonou a fabricação de peças para carroças e se dedicou ao mercado automobilístico. Porém, durante a Segunda Guerra, a empresa dedicou todos os seus esforços em produzir veículos para a guerra e interrompeu a sua produção de veículos de passageiros. A Guerra, obviamente, não duraria para sempre. Era um nicho de mercado com limitações muito claras, embora não se soubesse quanto tempo duraria. Em algum momento, o nicho iria ser extinto e as pessoas não precisariam de veículos de guerra, mas sim de carros de passeio para se locomoverem de um lado para o outro. Quando a Guerra terminou, quais produtos a Studebaker tinha para oferecer ao mercado?

 

A lição aqui é uma só: tudo muda, nada dura para sempre! Aquele nicho de clientes que pode ser uma fonte de receita extraordinária hoje pode não o ser amanhã se sua empresa não acompanhar as transformações sociais e tecnológicas. No caso da Studebaker, a empresa se adaptou às transformações tecnológicas da época e ao mercado, porém, o período de guerra e a possibilidade de oferecer um único produto para um nicho de mercado, fizeram com que a empresa perdesse o mercado.

 

Nos dias de hoje, a velocidade da transformação é ainda maior do que na época da Studebaker. Dizemos que a velocidade da mudança é exponencial. A própria velocidade da mudança ultrapassa, muitas vezes, a própria mudança.

 

Voltando para a pergunta inicial: Sua empresa nasceu para durar ou para mudar? Uma coisa é certa: sua empresa só vai durar se ela for uma empresa que nasceu para mudar! Do contrário, se ela nasceu apenas para durar, será engolida pela transformação. É preciso adaptar modelos de negócios, transformar produtos, serviços, formas de se conectar com o consumidor, criar meios de unir a alta tecnologia com a alta interação humana.

 

É como diz aquele novo-velho ditado: Mude ou morra!!

 

E então? Você conhece pessoas e empresas que ainda estão produzindo “rodas para carroça”? Conta aqui para mim nos comentários!

 

wagon_2y.gif

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s